ESPECIAIS

Faustão seguirá com destaque na TV, acredita especialista

domingão do faustão - fausto silva - rede globo - band - tv - fernando morgado - bob paulino - memória globo
Faustão voltará à tela da Band em 2022. Imagem: Bob Paulino/Memória Globo

Autor do livro Comunicadores SA, que menciona a trajetória empreendedora de Fausto Silva e outros apresentadores de TV, Fernando Morgado analisa a ida do comunicador para a Band

Fora da Rede Globo, Faustão deve comandar um novo programa a partir de janeiro ou fevereiro de 2022

Assim que o seu contrato se encerrar com a Rede Globo, Faustão voltará a ser apresentador da Band, informou em primeira mão a coluna de Flávio Ricco no portal R7.com nesta sexta-feira, 30. A notícia que movimentou o mercado midiático do país foi analisada por Fernando Morgado. Professor universitário e especialista em pesquisas sobre a produção televisiva, sendo autor de livros como o best-seller Silvio Santos — A trajetória do mito e Comunicadores SA, ele aposta que Fausto Silva deixará de ser um global a partir de janeiro de 2022, mas seguirá como um dos protagonistas da televisão brasileira.

Leia mais:

“Na Band, Fausto certamente se manterá como um dos nomes fortes da TV brasileira, inclusive em termos comerciais. Ele é um grande vendedor”, observa Morgado em contato com a reportagem do Portal Comunique-se. A questão comercial e empreendedora de Faustão é, aliás, um dos capítulos presentes no livro Comunicadores SA. Na obra, o escritor destaca, por exemplo, que o apresentador foi responsável por trazer para o Brasil a raça de cães cane corso.

Com o contrato com a Globo chegando ao fim em dezembro, Faustão retornará à TV Bandeirantes, onde na década de 1980 apresentou o ‘Perdidos na Noite’. Sobre o reencontro com a emissora do Morumbi, Fernando Morgado, que é professor das Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha) e membro da Academy of Television Arts & Sciences, aguarda por um apresentador com plena criatividade e espaço emitir as mais diversas opiniões quando estiver no ar.

“Certamente veremos um Fausto espontâneo e irreverente”

“Espera-se, em primeiro lugar, a preservação da liberdade que Fausto preza. Tanto o ‘Perdidos na Noite’ quanto o ‘Domingão’ sempre foram marcados pelas opiniões que o apresentador emite”, observa o acadêmico e escritor. “Independentemente do formato que ele venha a comandar a partir de 2022 na Band, certamente veremos um Fausto espontâneo e irreverente”, prossegue. Nesse sentido, a expectativa é de que a nova atração com o comunicador estreie em janeiro ou fevereiro do próximo ano.

Faustão sem aposentadoria

Diferentemente de colunistas de televisão com espaço em grandes portais de notícias e entretenimento, Fernando Morgado não vê com surpresa o anúncio do acerto entre Fausto Silva e TV Bandeirantes. O escritor, aliás, não imaginava que o apresentador deixaria de atuar na telinha por não ser mais um global. “Ele não demonstra interesse em parar de trabalhar, ainda que, porventura, deseje fazer algo diferente no vídeo”, comenta. “Portanto, o desempenho profissional e o desejo pessoal são razões mais que suficientes para justificar a permanência do Faustão na TV.”

livro comunicadores sa - de fernando morgado - fausto silva - faustão - tv
Fernando Morgado é autor do livro Comunicadores SA. Imagem: divulgação

Erro da Rede Globo?

Líder de audiência e bem requisitado pelo mercado publicitário. É dessa forma que Faustão pode ser definido há tempos na estrutura da Rede Globo de Televisão. Mesmo assim, Morgado evita cravar que a emissora da família Marinho tenha cometido um erro ao decidir não renovar o vínculo com o apresentador de 70 anos. “A Globo é uma empresa onde as grandes ações costumam ser precedidas de muita discussão e pesquisa. Por isso, acredito que a decisão de pôr fim ao ‘Domingão do Faustão’ tenha sido muito bem pensada, considerando todos os riscos.”

Advertisement

“O ‘Domingão’ vive uma de suas melhores fases, com ótima audiência, excelente faturamento e repercussão positiva até entre os jovens”

Para o escritor e estudioso em televisão, contudo, a decisão tomada pelo comando da Globo não deixa de chamar a atenção. “Ainda assim, não deixa de ser surpreendente ver que a emissora abriu mão de um produto tão importante justamente agora, quando o mercado atravessa um período desafiador. Porque é importante ressaltar que o ‘Domingão’ vive uma de suas melhores fases, com ótima audiência, excelente faturamento e repercussão positiva até entre os jovens.”

Globo sem Faustão

Informações dão conta de que “ninguém” será o escolhido pela direção da Rede Globo para ocupar o posto atualmente ocupado por Fausto Silva nas tarde de domingo. Ou seja: em vez de optar por simplesmente substituir um apresentador por outro, o canal deve apostar em transmissões de partidas de futebol na faixa que antecede o ‘Fantástico’ na programação. Segundo Morgado, tal decisão, se confirmada, será acertada. “O ‘Domingão’ é um programa personalíssimo, completamente diferente dos formatos prontos que costumam ser comprados no exterior”, avalia o especialista em TV.

Animadores de TV: fim de uma era?

Valorizado pelo Grupo Bandeirantes de Comunicação mesmo sendo um septuagenário milionário, Fausto Silva representa a dificuldade da televisão brasileira em formar novos comunicadores para a categoria que pode ser classificada como animadores de auditório, que nas últimas décadas teve o próprio Faustão e Gugu Liberato como expoentes. “É preciso reconhecer que há uma clara dificuldade para formação de novos comunicadores, mais versáteis e simpáticos”, comenta Morgado.

“Com o passar do tempo, deveremos ver um equilíbrio entre formatos e grandes personalidades”

Por fim, o escritor acredita que, sim, novos “Faustões” poderão surgir e ter protagonismo na televisão brasileira no decorrer dos próximos anos. Por outro lado, esse tipo de comunicador conviverá lado a lado com formatos enlatados. “Muitos canais resolvem abandonar as atrações mais centradas na figura do animador e recorrem a formatos estrangeiros, onde quem conduz não é o mais importante. Acredito que, com o passar do tempo, deveremos ver um equilíbrio entre formatos e grandes personalidades. Afinal, não se faz TV sem grandes ídolos, inclusive no campo da condução de programas.”

Fernando Morgado fala sobre Faustão
O escritor e pesquisador da televisão brasileira Fernando Morgado. Imagem: divulgação

Relembre a vinheta de abertura do ‘Perdidos na Noite’, programa que Faustão apresentou na Band:

Advertisement

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Jornalista, 31 anos. Natural de São Caetano do Sul (SP) e criado em Sapopemba, distrito da zona lesta da capital paulista. Formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e com especialização em jornalismo digital pela ESPM. Trabalhou de forma ininterrupta no Grupo Comunique-se durante 11 anos, período em que foi de estagiário de pesquisa a editor sênior. Em maio de 2020, deixou a empresa para ser repórter do site da Revista Oeste. Após dez meses fora, voltou ao Comunique-se como editor-chefe, cargo que ocupa atualmente.

1 COMENTÁRIO

COMENTAR

  • Com todo o respeito que o Faustão merece, há muito que o programa ficou chato, sem criatividade e repetitivo.
    Teve sua importância, sem dúvida, lembro que dava um Ibope na faixa de 25 a 30% na TV aberta. Não soube se reiventar com o surgimento de vários canais da TV à cabo. Nos últimos os quadros dinâmicos foram suprimidos o o tripé do programa é tudo muito copiado de outros: o tal do Ding Dong é uma peça mais incrementadas (apresentar cantores/bandas) do Qual é a Música? que o Silvio apresentava há mais de 20 anos; a Dança dos Famosos ( e suas corruptelas) foram inspiradas na tradicional Dançando com as Estrelas, da RAI italiana…e as Pegadinhas do Faustão foram introduzidas na TV aberta pelo Gugu com a videocassetadas. O Arquivo Confidencial é remake de um grande sucesso do J. Silvestre: Esta é sua vida. E por aí vai. Acho que a parceria foi boa enquanto durou: o Faustão ficou milioário, a Globo teve audiência e faturamento, mas “aí galera”, um bordão de 35 anos, já se tornou cansativo. ?Que ele tenha sucesso na Band. mas aposto desde já que, passado o primeiro mês de apresentacões, dependendo do horário, não vai chegar a 10% no Ibope, como ocorreu com a Xuxa e com o Gugu na Record. Com todo o respeito ao pesquisador Morgado, mas acho que ele está sendo bonzinho com o Faustão: falta combinar com o público;