ESPECIAIS

Polícia identifica “torcedor” que agrediu jornalistas no Allianz Parque

allianz parque - torcedor que agrediu jornalistas -
(Imagem: reprodução/Facebook/Allianz Parque)

Informação exclusiva do colunista Anderson Cheni. O “torcedor” agressor foi identificado graças ao auxílio do Palmeiras. Episódio contra jornalistas ocorreu durante a final do Campeonato Paulista, realizada no Allianz Parque

A Polícia Civil de São Paulo, depois de três meses de investigações e muita colaboração do Palmeiras, finalmente chegou ao nome do “torcedor” que agrediu jornalistas que estavam trabalhando na final do Campeonato Paulista deste ano. Disputado entre Palmeiras e Corinthians (que foi o campeão), o jogo foi realizado no Allianz Parque. Eduardo da Silva, conhecido como “Snarf”, foi identificado pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) como o agressor. Após a partida, ele arremessou uma lixeira, disparou cusparadas e agrediu verbalmente os jornalistas que trabalharam no estádio. Ele será chamado para prestar esclarecimentos e deve comparecer à delegacia nos próximos dias.

O Palmeiras prestou todo o auxílio necessário ao DHPP para que conseguisse identificar o “torcedor” agressor. O clube cedeu informações do programa Avante e imagens do circuito interno do Allianz Parque.

A punição a ser aplicada a Eduardo da Silva ainda não está definida. Provavelmente, ele deve será proibido de frequentar estádios de futebol, sobretudo jogos do Palmeiras, por tempo indeterminado. Ele também deverá ser obrigado a prestar serviços comunitários.

torcedor que agrediu jornalistas e identificado pela policia - anderson cheni - allianz parque
Colunista do Portal Comunique-se, Anderson Cheni teve acesso a documentos da investigação

torcedor que agrediu jornalistas e identificado pela policia - anderson cheni - allianz parque - 2

A agressão

No dia 8 de abril, Palmeiras e Corinthians decidiram o Campeonato Paulista. Na ocasião, profissionais de rádio foram alvo de cusparadas no campo do Allianz Parque. Repórteres mulheres sofreram com gestos obscenos e xingamentos machistas. Na tribuna de imprensa, houve o incidente mais grave. O agressor – agora identificado como Eduardo da Silva – arremessou uma lixeira plástica, de cerca de 1 metro de altura, em direção à equipe da web rádio Poliesportiva. Ramoni Artico, Bruno Filandra Lopes e Ivan Marconato, que já tinham encarado ofensas verbais enquanto transmitiam o jogo, foram os alvos.

A Federação Paulista de Futebol (FPP), a Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (Aceesp), a Associação dos Cronistas Esportivos do Interior de São Paulo (Aceisp) e a Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de São Paulo (Arfoc-SP) repudiaram profundamente os atos de hostilidade e as agressões sofridos pelos profissionais de imprensa em vários setores do estádio.

Esse episódio mostra o quanto é importante a parceia entre o clube de futebol e as autoridades competentes para identificação e punição – fatos ainda raros no futebol brasileiro.

SOBRE O AUTOR

Anderson Cheni

Anderson Cheni

Jornalista. Editor do blog Cheni no Campo, página que está no ar há mais de 10 anos. Apresentador da RIT TV e narrador esportivo do Portal Terra e da Enterplay TV. Proprietário da Cheni no Campo, empresa especializada em locução, narração esportiva e producão de eventos corporativos. Com mais de 20 anos de atuação na cobertura esportiva, soma passagens por emissoras de rádio de Mato Grosso e Capivari (SP). Em São Paulo, trabalhou nas rádios Record, Capital, Globo e CBN e nas TVs Sky e Rede Brasil. Foi editor-chefe do extinto jornal O Fiel.

COMENTAR

COMENTAR