COMUNICAÇÃO

Record TV inova e produz série de reportagem em formato de HQ

Record TV inova e produz série de reportagem em formato de HQ
Imagem: Reprodução/ Record TV

A reportagem que utiliza a linguagem de quadrinhos será transmitida nesta terça-feira,11

A Record TV está inaugurando um novo formato para suas reportagens. Na série ‘Aprisionadas’, transmitida no Jornal da Record, a emissora une o universo das HQs com o telejornalismo. O primeiro episódio do conjunto de reportagens foi ao ar na última segunda-feira, 10. Ao todo, são quatro reportagens que abordam casos de tráfico humano.

De acordo com texto publicado pela Record, foi durante um dos relatos que surgiu a ideia de ilustrar o ocorrido com os quadrinhos. O recurso é utilizado no segundo episódio da série, quando uma das personagens aceitou gravar apenas a sua voz narrando os acontecimentos. Para não expor a vítima, a reportagem do canal decidiu, então, unir a sua voz aos desenhos.

Leia mais:

As reportagens são de Thais Furlan, Fernanda Camargo e Daniel Arcanjo e Lucas Bueno, com coorde nação de Rosana Teixeira. Para fazer os quadrinhos, a Record convidou o mundialmente premiado jornalista Alexandre de Maio

Advertisement
. Essa é a primeira vez que o recurso é utilizado na televisão aberta brasileira e permitiu que detalhes do local e do suspeito fossem apresentados.

Além da inovação no conteúdo e de manter o sigilo da personagem, utilizar a linguagem de HQs contribui também para ressaltar a relevância desse formato no jornalismo. “Muita gente relaciona os quadrinhos a uma leitura juvenil, mas com esta reportagem vai se dar conta de como os desenhos podem ser uma ferramenta importante para informar, com clareza e precisão”, aponta o texto publicado no R7.com.

Inovações na Record

O modelo de reportagem que será transmitido nesta terça-feira, no Jornal da Record, é parte de uma série de novidades apresentadas pelo canal. Segundo a própria emissora, a Diretoria de Conteúdo tem buscado novos formatos e linguagens para os conteúdos jornalísticos.

Um exemplo disso é o uso da realidade aumentada nos programas ao vivo. O recurso é uma tendência mundial, apesar de ser pouco utilizado no Brasil. Na emissora, ele é parte dos telejornais desde 2020.

Advertisement

SOBRE O AUTOR

Julia Renó

Jornalista, 23 anos. Natural de São José dos Campos (SP), onde vive atualmente, após temporadas em Campo Grande (MS). Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (MS) e voluntária da ONG Fraternidade sem Fronteiras, integra o time de jornalistas do Grupo Comunique-se desde julho de 2020.

1 COMENTÁRIO

COMENTAR

  • Fui ver a tal série de reportagens da Record com quadrinhos e até me surpreendi da Record fazer uma série sobre tráfico de mulheres. Doce ilusão. Não passa de um panfleto eletrônico tentando usar o tema do tráfico humano para criminalizar o islamismo. Vindo da evangélica Record, não dava para esperar outra coisa mesmo. Lixo.

Prêmio Comunique-se

2021

A segunda etapa de votação está aberta!