COMUNICAÇÃO OPINIÃO

Social Media Training: os cuidados com a festa do Clubhouse

social media training - clubhouse
Imagem: acervo internet

Provavelmente você já deve ter escutado falar sobre o Studio 54. Se não conhece, para se ter uma ideia, foi considerada a maior balada do mundo. Localizada em Manhattan (Nova Iorque), o espaço era frequentado pela nata do Business norte-americano, além de celebridades de todos os circuitos: cinema, televisão, música e esportes. Tanta coisa acontecia ali que a história do espaço mais disputado entre os 1970 e 1980 foi parar nos cinemas. Uma coisa era você ir ao Studio 54, a outra era você entrar. O acesso era apenas com convite, não existiam ingressos comercializados.

A história lembra a sensação do momento, o Clubhouse. A rede social de áudio em tempo real vem chamando a atenção do mercado de plataformas de áudio. Em entrevista ao THE VERGE, o CEO do SPOTIFY, Daneil EK, reconheceu que “é um espaço interessante e é definitivamente algo em que estamos de olho”.

Frequentado por C-levels, influenciadores, celebridades e especialistas de diferentes setores, o acesso às salas de conversas é possível apenas com convite de outros usuários. Além disso, existe um outro fator: apenas usuários de aparelhos com sistema operacional iOS (iPhone e iPad) conseguem ingressar na plataforma.

A estratégia da empresa não é novidade. Outras redes sociais, como o Facebook e o Orkut, seguiram essa cartilha. Não à toa, o termo FOMO (‘fear of missing out’, ou medo de ficar de fora) permeia as análises desta rede social que consiste em formar grupos de debates sobre os mais variados assuntos.

Leia mais:

Equipe de reportagem é ameaçada ao vivo no Espírito Santo
Abraji lança programa de entrevistas sobre jornalismo investigativo

Na plataforma, marcas também estão ocupando o seu espaço. A CNN, por exemplo, fez uma reunião de pauta na plataforma. Já o McDonald’s reuniu seus executivos para um “aulão” com dicas para ajudar o seu negócio. A marca Nescau aproveitou para reunir atletas olímpicas em uma conversa sobre Esportes.

Apesar do estilo mesa de bar, no que diz respeito à comunicação organizacional, ainda vale a seguinte premissa: “aceitar falar de improviso é um risco até em festa de aniversário”. A frase do jornalista e especialista em media training, Herodoto Barbeiro, é de 2002 e cabe perfeitamente para esse novo espaço online para diálogo.

Portanto, se para falar na mídia tradicional, mais especificamente o saudoso rádio, as lideranças passavam pelo tradicional media training, o exercício prévio ainda vale.

Sai o âncora e entra o mediador de sala. O Clubhouse inaugura mais um capítulo no Social Media Training, mas muitas dicas do conceituado Media Training ainda podem ser aproveitadas.

Confira 10 dicas para usar o Clubhouse

1 – A postura do corpo e o controle da respiração ajudam para uma boa voz. Gravar a voz e ouvir algumas vez ajuda neste processo;

2 – Veja se os equipamentos estão funcionando;

3 -Antes de comentar temas polêmicos, respire fundo e pense nas consequências;

4 -Não se esqueça: você também representa uma empresa;

5- Perceba a audiência e evite abusar dos termos técnicos, por exemplo;

6 Não atravesse o samba. Espere o seu momento de fala;

7-Não imite locutor. Relaxar a voz ajuda;

8-Seja um bom contador de histórias (storytelling) e sintetize as explicações;

9-Se você não sabe, diga que não sabe e ponto;

10-As conversas são gravadas pela plataforma

Ricardo Nóbrega é Mestre em Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero e especialista em Social Media Training