Portal Comunique-se

Tragédia da Chapecoense: Globo é condenada a indenizar família de cinegrafista

Tragédia da Chapecoense Globo é condenada a indenizar família de cinegrafista
O cinegrafista foi vítima do acidente em 2016, responsável pela de 71 pessoas. (Imagem: Reprodução/ Sagres Online).

O valor é referente a indenização extra, com relação ao que foi acordado em 2017

Compartilhe

A Globo foi condenada a pagar mais de R$ 300 mil reais ao filho do cinegrafista Ari Júnior, vítima da queda do avião da Chapecoense, em 2016. O valor corresponde a uma indenização extra ao que foi pago pela emissora em acordo de 2017. As informações foram divulgadas em matéria publicada pelo Notícias da TV.

Leia mais:

Segundo apuração do site, a Globo teria descontado R$ 196.124,53 de Imposto de Renda sobre o valor total da indenização. O pagamento foi questionado por Alisson Carlos Araújo Silva (filho de Ari Júnior) em ação judicial, na qual alegou não cumprimento do acordo, celebrado em 2017. O motivo seria que, em indenizações desse tipo, não cabem descontos por impostos, sendo feito apenas o pagamento tributário, sem abatê-lo no valor acordado.

O juiz Erick Scarpin Brandão, da 28ª Vara Cível do Rio de Janeiro, responsável pelo caso, concordou com a argumentação apresentada por Alisson Silva e considerou que a Globo não teria agido de boa fé ao realizar o desconto. Por isso, a emissora foi condenada a pagar R$ 302.075,42, com juros de 1% ao mês, desde que o processo foi interrompido judicialmente, em 2020. Além disso, o grupo de comunicação também será responsável pelos custos relativos ao processo e aos advogados.

O pedido de indenização é referente à morte do cinegrafista Ari Júnior durante trabalho de cobertura jornalística para a TV Globo, em novembro de 2016. O cinegrafista acompanhava os repórteres Guilherme Marques e Laion Espínola e o produtor Guilherme van der Laars quando o avião da equipe de futebol caiu, na Colômbia. O acidente, na época, causou a morte de 71 pessoas.

Compartilhe
0
0

Julia Renó

Jornalista, 24 anos. Natural de São José dos Campos (SP), onde vive atualmente, após temporadas em Campo Grande (MS). Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (MS), pós-graduanda em Jornalismo Investigativo pela Universidade Anhembi Morumbi e voluntária da ONG Fraternidade sem Fronteiras, integra o time de jornalistas do Grupo Comunique-se desde julho de 2020.

Megalive do Prêmio Comunique-se 2021

Prêmio Comunique-se

Patrocinadores Ouro

Patrocinadores Ouro



Patrocinadores Prata

Patrocinadores Prata



Patrocinadores Bronze

Patrocinadores Prata