COMUNICAÇÃO

Galinha Pintadinha, o maior case do audiovisual brasileiro

galinha pintadinha - entrevista
(Imagem: reprodução/Imprensa Mahon)

Juliano Prado e Marcos Luporini são os executivos por trás da Galinha Pintadinha. Em entrevista à Imprensa Mahon, canal parceiro do Portal Comunique-se, eles falaram sobre o sucesso do projeto — principalmente na questão do mercado audiovisual

A Imprensa Mahon publicou na íntegra a entrevista com Juliano Prado e Marcos Luporini, criadores da Galinha Pintadinha, considerado o case de maior sucesso do audiovisual brasileiro. Com menos de 50 vídeos curtos, eles atingiram mais de 20 bilhões de visualizações em seus canais no YouTube, que somam mais de 23 milhões de inscritos. 12 diferentes fabricantes de brinquedos licenciam seus produtos. E um musical infantil roda o Brasil contando suas histórias há anos.

O canal da Galinha Pintadinha também já tem sua versão em espanhol, com mais de sete milhões de inscritos. Também há a recém-lançada versão em inglês. Da sede da Bromélia Produções, uma casinha gostosa num bairro tranquilo de Campinas (SP), os criadores da Galinha deram dicas. “Não tentem reinventar a roda. Tem um monte de coisa que todo mundo já fez. Acho até que fomos muito teimosos por um tempo, de não aceitar certos procedimentos padrões que poderiam facilitar as coisas para nós”, disse Marcos Luporini. Ele foi seguido por Juliano Prado.

Além do lado artístico

“Viemos do artístico. Temos afeto com roteiro, texto e tudo mais. No mundo já está meio formato o negócio do audiovisual. É importante você entender esse outro lado, que existe uma distribuidora, o que ela faz, quanto ela cobra, como você financia seu filme. É muito importante. O artista não precisa ser um especialista nisso, mas é importante ele ter uma interface com esse pessoal, pois se está inserido nessa cadeia”, disse Juliano Prado.

“A gente pensava: ‘imagina, você vai cobrar 30% de comissão?’. Aí, vimos que é um trabalho que vale a pena, que é merecido, que tem pessoas trabalhando lá e que não foram eles que inventaram essa porcentagem. E que está sendo operada há mais de cem anos, internacionalmente. Por outro lado, fomos entrar na televisão só no ano passado, na TV Cultura, depois de mais de dez anos. Seguimos as regras, mas também conseguimos dar uma desviada”, completou Juliano Prado sobre o sucesso da Galinha Pintadinha.

Assista à entrevista realizada pela Imprensa Mahon:

Leia mais – Imprensa Mahon:

SOBRE O AUTOR

avatar

Krishna Mahon

Graduada em jornalismo e cinema, com curso de extensão em ficção científica pela Universidade de Michigan (EUA) e bagagem considerável pelo meio televisivo - meio em que atua há mais de 20 anos. Já passou por Rede Minas, Discovery, Mixer Films. De 2010 a maio de 2018, fez parte da equipe da A&E Television, onde já foi produtora executiva e respondeu como diretora de conteúdo original dos quatro canais da empresa: History, A&E, Lifetime e H2. Agora, traz para o Portal Comunique-se a "Imprensa Mahon", projeto que está no ar no YouTube desde 2016.

COMENTAR

COMENTAR