COMUNICAÇÃO

O brasileiro que já trabalhou com George Lucas

george lucas - imprensa mahon - krishna mahon - o2 - sergio de segni
Geroge Lucas contou com colaboração de produtor brasileiro em efeitos visuais de filme (Imagem: reprodução)

Ele já fez os efeitos de Jurassic Park e trabalhou com George Lucas. O brasileiro Sandro di Segni, da O2, é o entrevistado da vez da Imprensa Mahon, canal parceiro do Portal Comunique-se

Sandro di Segni decidiu trabalhar com efeitos especiais quando viu aos 17 anos o primeiro filme da série Jurassic Park, de 1993, dirigido por Steven Spielberg. Hoje, aos 42, ele é supervisor de efeitos especiais da O2 e já trabalhou na Industrial Light & Magic, onde conheceu o cineasta norte-americano. Para George Lucas, ele fez uma cena de “Jurassic World, o Reino Perdido”.

Brasileiro que já trabalhou em blockbusters como Godzilla, Harry Potter, Homem de Aço e “Star Wars: Clone Wars”, Sandro di Segni concedeu entrevista à Imprensa Mahon. No bate-papo com Krishna Mahon, ele deu dicas para quem deseja entrar no mercado de pós-produção. “Acabe sua faculdade, seja ela técnica ou artística, porque isso pode te fazer falta depois. Ainda tem muita lei pra vistos de trabalho em outros lugares do mundo que pede esse tipo de coisa”, ensinou.

mailing-imprensa-cse
Anúncio

O entrevistado ressaltou, ainda, que não basta ser bom em atributos técnicos se não tiver domínio do idioma que domina o mercado fonográfico dos Estados Unidos. “A segunda dica é estudar inglês. Tem que estudar inglês! Se você não falar inglês no mercado de visual effects, fica muito mais difícil. Você não consegue entrevista, não consegue ir para fora trabalhar e não consegue nem entender o software direito”, avisou.

Leia mais:

Questionado por Krishna Mahon se ainda tinha algum sonho para realizar, Sandro di Segni respondeu que sim. Ele quer ser reconhecido como cineasta em produção de efeitos visuais. “Tenho o sonho de fazer um grande filme de efeitos brasileiro. Já passaram algumas produções muito legais desde que eu cheguei aqui. Foi feito Malasartes aqui na O2. Agora, estou fazendo a supervisão de um filme que se chama ‘Pluft, o Fantasminha’, que é um projeto bacana e que está super bonito. A gente ainda não chegou no Jurassic Park brasileiro, mas estamos no caminho”, contou o otimista produtor.

Assista à entrevista da Imprensa Mahon com o supervisor da O2:

SOBRE O AUTOR

Anderson Scardoelli

Anderson Scardoelli

Jornalista, 28 anos. Formado pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e pós-graduado em jornalismo digital pela ESPM. Há nove anos no Grupo Comunique-se, onde idealizou os projetos 'Correspondente Universitário' e 'Leitor-Articulista'. Na empresa, já atuou como freelancer (inserção de conteúdo), estagiário de pesquisa, estagiário de redação, trainee de redação, subeditor e editor-júnior. É, desde maio de 2016, o editor responsável pelo Portal Comunique-se e pelo conteúdo do Prêmio Comunique-se.

COMENTAR

COMENTAR