COMUNICAÇÃO

Repórter do BandNews TV é agredida em Brasília

Clarissa Oliveira fazia a cobertura de protesto em Brasília
Clarissa Oliveira fazia a cobertura de protesto em Brasília para o BandNews TV. (Imagem: reprodução/YouTube)

Clarissa Oliveira estava cobrindo manifestação realizada em frente ao Palácio do Planalto

Jornalista do BandNews TV foi atingida por uma bandeira do Brasil portada por uma manifestante

Mais um episódio de agressão a um profissional da imprensa em pleno trabalho. Na tarde de domingo, 17, Clarissa Oliveira entrou para a lista de jornalistas agredidos durante cobertura de protesto. Repórter do BandNews TV em Brasília, ela foi agredida por uma manifestante, que a atingiu com uma bandeira do Brasil.

Leia mais:

“Uma das apoiadoras do presidente Bolsonaro circulava com uma bandeira e criticando os profissionais da imprensa, referindo-se aos jornalistas como lixo. Ela balançava a bandeira e, em determinado momento, ela me acertou com a bandeira na cabeça. Logo em seguida, ela se desculpou, meio aos risos”, explicou, posteriormente, Clarissa Oliveira em participação ao vivo para o próprio BandNews TV. “Tive a solidariedade de outros manifestantes, que vieram me perguntar se estava tudo bem”, complementou a repórter, conforme registrado pelo site do canal de notícias.

Após ser atingida na cabeça, Clarissa seguiu seu trabalho. Continuou cobrindo o ato que reuniu pessoas em favor do presidente Jair Bolsonaro. Ela prosseguiu com a cobertura, mas a agressão não foi ignorado por seu empregador. Em nota assinada pela direção de jornalismo, o Grupo Bandeirantes de Comunicação fez questão de repudiar o ocorrido.

“A direção de jornalismo da Band lamenta mais essa prova de desrespeito ao trabalho da imprensa. Informa que já foi feito o boletim de ocorrência e exige que haja punição exemplar a esse ato inaceitável de selvageria”, diz trecho da nossa. Para o conglomerado de mídia, o caso vai além de ter uma única jornalista como vítima. “A agressão à nossa repórter, Clarissa Oliveira, durante manifestação em frente ao Palácio do Planalto, ofende a liberdade de imprensa e a todos os jornalistas”, complementa o comunicado divulgado pela Band.

Apoio de autoridades

Além do Grupo Bandeirantes e de colegas da imprensa, Clarissa Oliveira recebeu apoio de autoridades. Entre quem repudiou a agressão contra a jornalista estão o governador de São Paulo, João Doria, e o ministro Alexandre de Moraes. “É absolutamente inadmissível, que uma repórter, exercendo sua profissão, seja covardemente agredida por manifestante radical”, escreveu o integrante do Supremo Tribunal Federal (STF).

Também pelo Twitter, jornalistas alertam que a agressora da repórter do BandNews FM aparece em foto publicada pelo El País Brasil.

foto da agressora da repórter clarissa oliveira - el país brasil
A agressora da repórter do BandNews TV. (Imagem: reprodução/El País Brasil)

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR