AUDIÊNCIAS

CNN Brasil e GloboNews focam na cobertura da pandemia e vão bem no Ibope

coronavírus - istoé
(Imagem: reprodução/IstoÉ)

Emissoras de notícias têm destacado boa parte de suas coberturas para apresentar informações sobre o coronavírus

CNN Brasil e GloboNews figuram, em meio ao noticiário da pandemia, como os canais de maior Ibope na TV por assinatura

Estreante na imprensa do país, entrando no ar em definitivo na noite do último domingo, a CNN Brasil mal teve tempo de comemorar a sua chegada. Em meio à pandemia do coronavírus, o canal tem feito jus à classificação de hard news. Boa parte da programação vem sendo dedicada a pautas relacionadas à Covid-19. Com direito a ‘Breaking News’, avisou da infecção por parte do ministro Augusto Heleno e da decisão do presidente Jair Bolsonaro em decretar estado de calamidade pública. Dessa forma, vem apresentando altos índices de audiência, chegando a se aproximar da GloboNews no Ibope.

Leia mais:

Colunista do UOL, Flávio Ricco pontuou que a novata CNN Brasil chegou a encostar na GloboNews na segunda-feira. Na data, o ‘Jornal da CNN’, ancorado por William Waack marcou média de 1,1 no Ibope — mesmo número registrado pela GloboNews no horário. Ao longo de todo o dia, as duas ficaram na liderança e vice-liderança entre os canais de televisão por assinatura mais assistidos no país. Enquanto o veículo de comunicação mantido pelo Grupo Globo ficou com 1,0, a mais nova emissora teve média de 0,7. Os números foram ressaltados pelo Telepadi, site editado pela jornalista Cristina Padiglione.

Apesar da boa estreia da CNN Brasil, o Notícias da TV pontuou que a GloboNews seguiu soberana na primeira colocação do Ibope ao decorrer do restante da semana. A audiência no telejornal conduzido por Waack, por exemplo, caiu, de um dia para outro, de mais de 100 mil espectadores para 52 mil. Mesmo a queda faz com a emissora estreante fique à frente de outros veículos hard news presentes em pacotes de televisão por assinatura do país: BandNews e Record News.

Cobertura ao vivo

As duas emissoras, GloboNews e CNN Brasil, têm investido em cobertura ao vivo. Cada uma soma mais de 17 horas de programação direta a cada dia. Têm, inclusive, levando ao ar as mesmas informações em determinado momento. É o que tem ocorrido, por exemplo, com as coletivas de imprensa lideradas pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, dos depoimentos do presidente Jair Bolsonaro e de autoridades locais, como discursos do governador paulista, João Doria Jr., e do fluminense Wilson Witzel. Na tarde desta sexta, 20, os dois canais levaram ao ar — com distintas traduções simultâneas — a apresentação de representantes da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o coronavírus.

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Jornalista, 31 anos. Natural de São Caetano do Sul (SP) e criado em Sapopemba, distrito da zona lesta da capital paulista. Formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho (Uninove) e com especialização em jornalismo digital pela ESPM. Trabalhou de forma ininterrupta no Grupo Comunique-se durante 11 anos, período em que foi de estagiário de pesquisa a editor sênior. Em maio de 2020, deixou a empresa para ser repórter do site da Revista Oeste. Após dez meses fora, voltou ao Comunique-se como editor-chefe, cargo que ocupa atualmente.

COMENTAR

COMENTAR