ESPECIAIS

Correspondentes internacionais trocam Estadão e Folha por estudos

claudia trevisan - diogo bercito - correspondentes internacional de estadao e folha de s paulo - estudos - capa
(Imagem: reprodução/oabdeprimeira)

Dois correspondentes internacionais deixam seus postos no Estadão e na Folha de S. Paulo. Jornais já escalaram novos profissionais para as funções ocupadas por Cláudia Trevisan e Diogo Bercito

Os jornalistas Cláudia Trevisan e Diogo Bercito se preparam para deixar os cargos de correspondentes internacionais do Estadão e da Folha de S. Paulo, respectivamente. A partir de agosto, a dupla deixará o trabalho no dia a dia da imprensa para se dedicar à vida acadêmica. Os dois vão cursar mestrado nos Estados Unidos. As informações são do boletim Jornalistas&Cia.

Baseada em Washington desde 2013, Cláudia Trevisan seguirá próxima à capital federal norte-americana. Ela passará a ser aluna do programa de mestrado da Escola de Estudos Internacionais Avançados da Universidade Johns Hopkins. A instituição de ensino fica baseada na cidade de Baltimore, no estado de Maryland. A jornalista se afasta momentaneamente do noticiário para se dedicar aos estudos com a conquista de dois troféus do Prêmio Comunique-se. Em 2010 e 2012, quando trabalhava para o Estadão na China, ela venceu a categoria ‘Correspondente Internacional – Mídia Escrita’.

Futuros mestres

Além do duplo reconhecimento em anos anteriores, Cláudia Trevisan é finalista da edição 2018 do “Oscar do Jornalismo Brasileiro”. Na categoria, ela disputa a preferência do público com Caio Blinder e Jamil Chade. Anteriormente, a divisão do Prêmio Comunique-se 2018 contou como indicado outro profissional que vai focar nos estudos: Diogo Bercito, da Folha de S. Paulo.

A relação profissional de Diogo Bercito com a Folha começou em 2007. Antes de se tornar correspondente do jornal em Jerusalém (2013-2014) e Madri (desde 2016), colaborou com textos sobre comportamento e empreendedorismo. Agora, ele, que já é mestre em estudos árabes e islâmicos contemporâneos pela Universidade Autônoma de Madri, vai se mudar para os Estados Unidos. A partir de agosto, o jornalista entrará para a turma do mestrado em estudos árabes da Universidade Georgetown, na cidade de Washington.

Novos correspondentes

Enquanto Cláudia Trevisan e Diogo Bercito se organizam para os cursos de mestrado, as diretorias do Estadão e da Folha de S. Paulo preparam novos correspondentes internacionais. No jornal do Grupo Estado, a comunicadora que ficará na capital dos Estados Unidos será Beatriz Bulla, que cobre a política de Brasília desde 2014. No impresso da família Frias, Lucas Neves, atual editor de ‘Mundo’, será o responsável pelo noticiário diretamente da Europa. Em vez de Madri, porém, ele terá Paris como cidade-base.

correspondentes internacionais - estadao - folha de s paulo - mestrado - claudia trevisan - diogo bercito
(Imagens: reprodução/Jornalistas&Cia)

Leia mais:

SOBRE O AUTOR

avatar

Anderson Scardoelli

Orelhudo, observador e contador de histórias. Não necessariamente nessa ordem. De sua querida Estância Turística de Sapopemba, na zona leste de São Paulo, para o mundo. Graduado em jornalismo pela Uninove e com especialização em jornalismo digital pela ESPM, mas gosta mesmo de dizer que foi formado pelo Comunique-se. Trabalha na empresa há mais de 10 anos, indo de estagiário de pesquisa a editor sênior. No meio do caminho, foi estagiário de redação, trainee, subeditor, editor júnior e editor pleno. Gosta de escrever e de falar sobre (adivinhem?) jornalismo!

COMENTAR

COMENTAR

COMO AGÊNCIAS PODEM CRESCER FATURAMENTO COM O INFLUENCER MARKETING?

Webinar

14/07 às 16:00